Especialmente no ambiente empresarial nos deparamos com dois principais papéis que são desenvolvidos a todo tempo: quem passa as tarefas e quem as executa.
Ambas as funções são de extrema importância: executar as tarefas sabendo dos prazos e exigências de qualidade e produtividade não é necessariamente uma tarefa fácil, mas ela pode tornar-se ainda mais complicada se o responsável pelo desenvolvimento não possuir os recursos necessários para fazê-lo.
Estes recursos podem ser materiais, como ocorre nas linhas de montagem das fábricas, por exemplo, ou informações (o mais comum em setores administrativos).
Parece óbvio e até bem fácil passar ordens, mas na realidade não é tão simples assim.
Uma comunicação falha é origem de diversos problemas, então, para passar as tarefas é necessário ser muito específico e claro, afinal toda a eficiência do processo todo depende disto: o processo de receber as ordens, interpretá-las e passá-las de forma clara para quem as desenvolverá.
Para desenvolver esta tarefa com eficiência é preciso que se tenha entendido por completo tudo o que foi passado para poder responder decorrentes dúvidas que surjam no processo e isto leva algum tempo para ser realizado.
Mas e quando os prazos exigem o máximo de rapidez? Aí surgem os grandes problemas de comunicação: as informações são mal entendidas porque não há tempo de entendê-las bem, são mal repassadas e daí surgem os erros e retrabalhos. Por isso muitas vezes é necessário antes de tudo, de todos os prazos, pensar na comunicação e talvez perder um pouco mais de tempo coletando e interpretando as informações para que não seja preciso perder mais tempo posteriormente consertando os erros do processo de comunicação.

459_di1-copy2